fbpx

5 materiais utilizados na construção civil considerados sustentáveis

Produtos como o tubo de PEAD corrugado, utilizado em obras de saneamento e drenagem, evitam vazamentos e a contaminação do solo e são considerados sustentáveis.

A construção civil é uma das atividades que mais causam impacto no meio ambiente. No Brasil, por exemplo, aproximadamente 35% de todos os materiais extraídos da natureza (madeira, metais, areia, pedras etc.) são usados pela construção civil.

Fazer com que os materiais sejam reutilizados, definir alternativas para a exploração dos recursos naturais e encontrar novas formas de gerar e economizar energia são atitudes que diminuem os impactos da construção no ambiente. Além disso, desempenham um papel fundamental para tornar os processos economicamente viáveis.

Além da questão ética e ambiental, a sustentabilidade é uma demanda por parte dos clientes finais que vem crescendo cada vez mais. Boa parte da sociedade vem mudando seus hábitos prejudiciais ao meio ambiente e com isso surge a necessidade de construções mais sustentáveis. 

Por isso, empresas e pesquisadores estão investindo cada vez mais na criação de materiais sustentáveis que buscam o equilíbrio entre a construção civil e o meio ambiente. Utilização de lâmpadas de LED, reutilização de contêineres e argamassa de argila já são alguns exemplos de materiais que surgiram com esse propósito.

Conheça agora outros 5 materiais que estão ajudando a transformar a construção em um espaço tecnológico e sustentável:

1 – TUBOS DE PEAD CORRUGADO PARA DRENAGEM E SANEAMENTO

Utilizado na construção de redes de drenagem, saneamento, detenção e retenção de águas pluviais, o tubo de PEAD (Polietileno de Alta Densidade) é um material quimicamente inerte e não contamina o solo nem os lençóis freáticos.

Por resistir à ação química do gás sulfídrico e efluentes com pH entre 1,5 a 14 e possuir união ponta/bolsa, os tubos de PEAD garantem a estanqueidade do sistema, evitando vazamento de efluentes e impedindo a contaminações do solo. Muito utilizada nos Estados Unidos e na Europa, essa solução vem substituindo com grande eficiência materiais tradicionais como o concreto e o PVC.

2 – CONCRETO VIVO

Criado por pesquisadores da Universidade de Tecnologia de Delft, na Holanda, o bioconcreto, ou concreto vivo, é capaz de regenerar suas próprias rachaduras por meio da presença de bactérias bacillus pseudofirmus – um bacilo que vive em ambientes extremamente inóspitos, como crateras de vulcões em atividade ou lugares com pH acima de 10.

Quando incorporada à mistura de concreto, a bactéria produz carbonato de cálcio, capaz de selar as fissuras existentes. Segundo os pesquisadores, esse material pretende prolongar a vida útil de pontes, ruas e túneis, além de dar uma perspectiva completamente nova à produção do concreto.

3 – TELHADO VERDE

Os telhados verdes são aplicações de camada vegetal sobre uma base impermeabilizada com manta de PVC. Como as plantas refletem mais raios solares do que as telhas comuns, os telhados verdes oferecem um excelente isolamento térmico e acústico para os edifícios.

A tecnologia é especialmente útil nos edifícios de cidades muito quentes, pois é possível dispensar a instalação de aparelhos de ar-condicionado e poupar recursos e energia elétrica.

4 – TINTAS ECOLÓGICAS

No lugar de solvente, as tintas ecológicas são à base de água e produzidas a partir de pigmentos naturais. Assim, não há acréscimo de insumos derivados de petróleo ou uso de componentes sintéticos. Algumas tintas também são livres de COVs – Compostos Orgânicos Voláteis – que são agressivos para a saúde e contribuem para a destruição da camada de ozônio.

5 – TIJOLOS REPLAST

Produzido a partir da compressão de resíduos plásticos retirados dos oceanos, o tijolo replast é moldado em diferentes formas e encaixes. Por isso, a fixação não exige utilização de cola, adesivos ou qualquer tipo de argamassa. Além disso, o processo de fabricação dos tijolos emite 95% menos gás carbônico e não é tóxico ao meio ambiente.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima