Notícias

Compartilhe

28/08/2017

Mitos e Verdades sobre o tubo corrugado de PEAD

Mitos e Verdades sobre o tubo corrugado de PEAD

Neste artigo você tira dúvidas sobre os principais mitos e verdades sobre a utilização dos tubos corrugados de PEAD da Tigre-ADS.

Presente na América do Sul desde 2003, a Tigre-ADS é líder do segmento de tubos corrugados de Polietileno de Alta Densidade. Indicados para obras de drenagem, saneamento, detenção e retenção de águas pluviais, os tubos corrugados de PEAD permitem economias significativas nas obras e se mostram um ótimo substituto aos demais materiais como o concreto, PVC e materiais cerâmicos.

Largamente utilizado na Europa e Estados Unidos, os tubos corrugados de PEAD são padronizados por normas nacionais e internacionais como NBR ISO, ASTM e ASHTO.

Neste artigo você tira dúvidas sobre os principais mitos e verdades sobre a utilização dos tubos corrugados de PEAD da Tigre-ADS.

1 - Usar tubos corrugados de PEAD torna a obra mais cara?

Mito. Além das vantagens técnicas do produto e da vida útil três vezes superior ao concreto, o uso de tubos corrugados de PEAD permite economias significativas em todas as etapas da obra, da entrega à instalação.

Como o transporte das peças é, geralmente, feito em carretas graneleiro ou carga seca, o descarregamento dos tubos é fácil e rápido, enquanto o de concreto normalmente requer mais tempo e equipamentos pesados.

Quando comparamos os pesos entre tubos de PEAD e tubos de concreto de mesmo diâmetro, as diferenças são impressionantes. Enquanto um tubo de 600mm de PEAD pesa 16kg/m, o tubo de concreto pesa em média 300kg/m.

Se fizermos uma comparação entre tubos 1200mm, os números são ainda mais significativos. Enquanto o tubos PEAD pesam 46kg/m, a manilha de concreto pesa cerca de 900kg/m. Isso significa que os tubos de concreto chegam a pesar 1.950% mais que um tubo PEAD.

Fica evidente que, devido à diferença de peso, os custos para movimentação, transporte e instalação dos tubos de concreto são bem maiores que os custos para os tubos PEAD. Por isso, a instalação de tubos PEAD pode reduzir em até 70% o tempo de execução da obra, além de exigir menos mão de obra e maquinário.

2 - A instalação do tubo de PEAD exige mão-de-obra especializada?

Mito. Não existe um curso técnico específico para a instalação desta solução. As próprias fabricantes como a Tigre-ADS, por exemplo, oferecem suporte técnico para orientar os profissionais da obra a instalarem corretamente as soluções de acordo com as recomendações técnicas, fornecendo consultorias relacionadas aos produtos, suas aplicações e especificações. O conteúdo dos treinamentos são especialmente elaborados para cada público de acordo com a necessidade do cliente.

3 – Se instalados de forma incorreta, o tubo pode sofrer deformação?

Verdade. Se for instalado de forma inadequada sem a devida compactação lateral e respeito ao recobrimento mínimo, o produto pode sofrer deformações pelas ações das cargas envolvidas. Por isso, a Tigre-ADS oferece suporte e orientação ao cliente e equipe de mão de obra para sua correta instalação.

4- O tubo de PEAD pode ser armazenado em local aberto, exposto aos raios solares?

Verdade.  Estudos mostram que o PEAD mantém a resistência à tensão mesmo após 36 meses de exposição aos raios UV. Garantindo que durante o tempo de instalação não haverá necessidade de armazenamento em local coberto.

5- O Polietileno de Alta Densidade (PEAD), utilizado na fabricação dos tubos, pode poluir o meio ambiente?

Mito. O PEAD é um material quimicamente inerte e não contamina o solo nem os lençóis freáticos. Por resistir à ação química do gás sulfídrico e efluentes com pH entre 1,5 a 14 e ainda possuir união ponta/bolsa também garante a estanqueidade do sistema, evitando vazamento dos efluentes e impedindo contaminações ao meio ambiente.

6- O tubo de PEAD apresenta maior eficiência hidráulica do que outras tecnologias?

Verdade. Como a capacidade de condução de uma tubulação é inversamente proporcional à sua rugosidade interna, o baixo índice de rugosidade do interior dos tubos PEAD ajuda sua eficiência hidráulica em conduzir água e fluidos à base d’água. Essa capacidade representa a fricção, em oposição, da superfície do tubo ao fluxo do líquido. Em um comparativo, o manning do PEAD varia entre 0,009 a 0,012. Já o concreto é de 0,013 a 0,017.

Uma menor rugosidade pode reduzir os custos de instalação se comparado a outras tecnologias devido à redução de DNs ou declividades, resultando em uma menor necessidade de escavações, reaterros, bota-fora, etc. Ou seja, reduz os custos de movimentação de terra.

7- É verdade que os tubos de PEAD podem ser instalados com menor recobrimento que os tubos convencionais?

Verdade. Para cargas tipo H-25 e com compactação lateral de, no mínimo 90% proctor normal, os tubos de PEAD podem ser instalados com recobrimento mínimo de 30cm  para tubulações com diâmetros até 1.200 mm e 60cm para tubos com diâmetro de 1.500mm.

8- Na união da tubulação com poços de visita (PV), pode haver perda ao realizar cortes no tubo?

Mito. Os tubos da Tigre-ADS possuem sistema de união ponta-bolsa e comprimento de seis metros. Caso não seja utilizado o comprimento total, sendo necessário realizar corte, a parte que não foi utilizada pode facilmente ser aproveitada em outro ponto.

9- É possível realizar a união de tubos de fornecedores diferentes?

Verdade. Atualmente existem conexões que permitem a intercambiabilidade de diferentes fornecedores, além da possibilidade de serem utilizados PV (poços de visitas) convencionais. Consulte a equipe comercial Tigre-ADS para mais informações.

10- O diâmetro interno da tubulação PEAD influencia na elaboração do cálculo hidráulico do projeto de drenagem pluvial?

Verdade. É fundamental que o projeto de drenagem ou esgoto defina o diâmetro interno mínimo de cada tubulação de forma a atender aos critérios definidos nos cálculos hidráulicos. Os diâmetros devem estar em conformidade com os requisitos da norma de referência, tanto para a série DN/DI como para a série DN/DE.

11- É verdade que a norma ABNT NBR ISO 21138-3 permite somente a série DN/DE (diâmetro nominal externo)?

Mito. A norma permite tanto a série DN/DI (Diâmetro nominal baseado no Diâmetro Interno) como a série DN/DE (Diâmetro nominal baseado no Diâmetro Externo), ficando à cargo do projetista ou comprador a definição do diâmetro que atenda os critérios de projeto.